Horário de Atendimento

Seg - Sex: 8.00 - 18.00

Aos Sábados das 8h às 15h

 

Língua grande ou língua fraca?

Apesar da macroglossia (língua grande para a boca) congênita existir, a maioria dos casos em que a “língua parece não caber dentro da boca” é devido à flacidez de seus músculos, a chamada macroglossia relativa.

A língua é uma estrutura mole, formada por 4 músculos e ligadas à faringe, laringe e palato (céu da boca) por outros 4 músculos. Participa diretamente da deglutição, mastigação e fala e sua forma e posição pode interferir no formato das arcadas dentárias!

Nos bebês até 3 ou 4 meses é normal a língua parecer maior que o espaço da boca. Isso ocorre devido ao tamanho da mandíbula (osso do queixo). A partir do segundo trimestre, há um salto no crescimento do bebê e a proporção boca x língua passa a ter mais harmonia.

Qual a relação da língua com as funções da boca?

  • Respiração: o simples fato de respirar pelo nariz mantendo a língua grudada no palato garante o adequado crescimento ósseo da mandíbula e maxila. Quando ela fica no assoalho da boca ou mesmo entre os dentes, seus músculos exercem uma força suficiente para prejudicar a oclusão dentária e enfraquecer os músculos da bochecha (que não têm força suficiente para forçar o fechamento da boca e acabam ficando relaxando constantemente).
  • Sucção: durante a sucção do peito, mamadeira ou mesmo de um canudo, a língua muda seu formato (elevando suas bordas e abaixando a região central), ajudando os demais músculos do rosto e boca a gerar pressão aérea suficiente para extrair o líquido pelo canudo.
  • Mastigação: a língua é a responsável por transportar o alimento para os dentes durante a mastigação bilateral alternado (considerada ideal para a manutenção da força da musculatura da face).
  • Deglutição: o bolo alimentar já triturado pelos dentes é posicionado sobre a língua e graças ao impulso que ela dá apoiando-se no início do palato, tem força suficiente para direciona-lo para a garganta e esôfago.
  • Fala: podemos considerar a articulação dos sons da fala como um verdadeiro balé da língua, pois para cada vogal e grande maioria das consoantes a língua posiciona-se de forma diferente, fazendo esta mudança de posição rapidamente, o que nos permite ter uma fala veloz.

Saiba a diferenença entre macroglossia congênita e relativa


A macroglossia congênita ocorre quando a criança nasce com a língua apresentando volume aumentado em relação à boca (considerando que o desenvolvimento dos ossos da mandíbula e da maxila foi adequado). Sua ocorrência na maioria dos casos se faz integrando quadros de síndromes genéticas ou de malformações craniofaciais congênitas.

Recém-nascido com macroglossia congênita. (Fonte: Teixeira et al 2010)

Já a macroglossia relativa refere aos casos em há uma disproporção da relação entre a boca e a língua, devido a uma hipotonia da língua (músculo fraco tem maior volume que músculo forte!) ou um menor crescimento da mandíbula. Casos de Síndrome de Dawn ou de respirador oral crônico são exemplos de hipotonia da língua. Já a Sequência de Pierre Robin é um exemplo de quando há micrognatia.

Criança com respiração oral crônica com hipotonia de lábios, bochechas e língua (Fonte Valera et al 2004).

Qual o tratamento?


Definido o tipo e a causa da macroglossia, há dois tipos de tratamento: cirúrgico (para casos congênitos graves) e fonoaudiológico (uma verdadeira ginástica da língua é capaz de recuperar a força da musculatura da língua e reduzir seu volume dentro da boca.

Não só pernas, braços e abdômen precisam de exercícios, os músculos da nossa boca merecem especial atenção também!





Fontes pesquisadas:
Teixeira, F.A.; Teixeira Jr, F.A.A; ; Freitas, R.S.; Alonso, N..
Macroglossia: revisão de literatura. Rev Bras Cir Craniomaxillofacial, v.13.p. 107-110, 2010.

Valera FCP, Demarco RC, Lima WTA. Síndrome da Apneia e da hipopneia obstrutivas do sono (Sahos) em crianças. Rev Bras Otorrinolaringol 2004; 70(2):232-7.

Deixe seu comentário


%d blogueiros gostam disto: